Into realiza mutirão de cirurgias reconstrutoras

Ação beneficiou 35 crianças com deformidades congênitas e lesões ocorridas no parto

O Into realizou, de 28 a31/08, o primeiro mutirão de cirurgias reconstrutoras para operar 35 crianças com deformidades congênitas e sequelas de lesões ocorridas no parto. A ação cirúrgica fez parte do “curso de anomalias congênitas e sequelas de lesões obstétricas do plexo braquial”, com a participação do médico francês Alain Gilbert, especialista em anomalia congênita e lesões do plexo braquial.

Voltado para médicos e residentes, o curso visa difundir o conhecimento de técnicas cirúrgicas e promover a troca de experiências. O programa incluiu aula teórica, discussão de casos, avaliação e exames clínicos e o acompanhamento das cirurgias, transmitidas ao vivo para o telão do auditório.

“É a primeira vez que um hospital público realiza um mutirão para operar crianças com esse tipo de problema. O objetivo é agilizar a fila de cirurgias e também auxiliar na capacitação de médicos”, afirma Pedro Bijos, chefe do Centro de Cirurgia Plástica e Microcirurgia Reconstrutiva.

Segundo Bijos, as lesões do plexo braquial devem ser feitas em crianças com até seis meses, para evitar que as sequelas comprometam o movimento do braço. Além disso, o mutirão também realizou cirurgias plásticas para corrigir deformidades congênitas, entre elas, crianças com dedos duplicados.

A lavradora Valéria da Silva Sá, 21 anos, levou a filha Vitória, de 2 anos, para operar o braço esquerdo devido a lesão que sofreu durante o parto normal. “Ela nasceu com mais de quatro quilos e precisou ser puxada com fórceps e teve a lesão de plexo, comprometendo os nervos. Feza primeira cirurgia no Into com três meses e já conseguiu recuperar o movimento porque não mexia nada desde que nasceu. O braço era paralisado e já mexe bem. Espero que agora ela se recupere totalmente”, contou.

FONTE: INTO
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *