Mutirão da Saúde supera meta e realiza 101 cirurgias

No segundo fim de semana da ação, nove hospitais fizeram as operações eletivas

Em sua segunda etapa, o mutirão de cirurgias realizado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para atender as filas internas dos hospitais da rede municipal superou a meta e operou 101 pessoas neste fim de semana, em nove unidades. Cinco outros pacientes que estavam agendados para serem operados não compareceram aos hospitais indicados. Na primeira etapa do mutirão, nos dias 28 e 29 de janeiro, foram realizadas 80 cirurgias e a expectativa era de, pelo menos, repetir este número, o que foi ultrapassado.

Neste fim de semana, além dos hospitais Souza Aguiar, Miguel Couto, Salgado Filho, Lourenço Jorge, Albert Schweitzer, Rocha Faria, Ronaldo Gazolla e Jesus, outra unidade foi incluída no mutirão, o Hospital Municipal Nossa Senhora do Loreto, na Ilha do Governador, especializado em pediatria. Entre as especialidades operadas nesta segunda etapa estão cirurgia geral, pediátrica, ortopédicas, algumas das que têm a maior demanda na rede hospitalar.

“Agradeço aos profissionais. Foi mais um final de semana de esforço, de exemplo, de solidariedade, de amor ao próximo, de vocação ao serviço público. Vocês são um exemplo para todos nós”, disse o prefeito Marcelo Crivella, que na manhã de sábado esteve no Hospital Loreto, ao lado do secretário de Saúde, Carlos Eduardo de Mattos, para acompanhar o início do mutirão.

“Vamos continuar pelos próximos finais de semana, até que o banco de enfermagem do último concurso público se apresente e comece a trabalhar. Quando esses novos profissionais chegarem, poderemos usar algumas salas cirúrgicas que estão fechadas por falta de recursos humanos e ampliar o mutirão para os dias úteis, no turno da noite”, explicou o secretário Carlos Eduardo, que também fez questão de agradecer aos mais de 100 profissionais de saúde envolvidos atualmente na ação.

O mutirão de cirurgias faz parte da estratégia da SMS para reduzir as filas de espera no Sistema de Regulação do município, o SISREG. Com a resolução dos casos que aguardam em filas internas nos hospitais, novas vagas poderão ser abertas pelas unidades para os pacientes cadastrados no SISREG, possibilitando assim agilizar as filas e reduzir o tempo de espera pelos procedimentos. Atualmente, 140 mil pessoas estão no SISREG esperando a oportunidade de realizar algum procedimento na rede pública, seja cirúrgico, consultas ou exames.

As cirurgias foram realizadas pelos corpos clínicos próprios dos hospitais envolvidos. Os horários dos profissionais foram ajustados para suprir as escalas do sábado e do domingo, quando normalmente não são realizadas cirurgias eletivas e o número de funcionários atuando é menor. Todas as salas de cirurgia disponíveis nas unidades envolvidas foram utilizadas, respeitando-se, nos hospitais de urgência e emergência, a reserva necessária para os casos de emergência do plantão.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *