Saúde investe R$ 12,8 mi no Projeto Vida no Trânsito

Recursos do Ministério da Saúde reforçam as ações de segurança no trânsito nos estados e capitais. Projeto prevê medidas para reduzir índices de mortes em acidentes

O Ministério da Saúde autorizou novo repasse no valor de R$ 12,8 milhões para que todos os 26 estados, o Distrito Federal e as respectivas capitais possam ampliar e fortaleces ações previstas no Projeto Vida no Trânsito. Além dos investimentos, a portaria 1.934 prevê a inclusão de dois novos municípios paulistas no projeto: Campinas e Guarulhos, que já desenvolviam ações de vigilância e prevenção das lesões e mortes pelo trânsito. Os recursos transferidos para municípios com mais de um milhão de habitantes serão de R$ 250 mil. O valor para cidades com número de habitantes entre 500 mil e um milhão será R$ 200 mil. Municípios com menos de 500 mil habitantes receberão R$ 175 mil. A medida visa modificar a cultura de segurança no trânsito de forma a reduzir o número de mortos e feridos graves a partir da melhora da informação, da conscientização e mobilização da sociedade.

Um dos pontos principais do Projeto Vida no Trânsito é qualificação das informações. As secretarias estaduais e municipais de saúde deverão implantar o Projeto Vida no Trânsito por meio de articulação com outros setores governamentais e não-governamentais. Eles deverão integrar as informações sobre acidentes de trânsito e vítimas (como feridos graves e mortes). Os gestores de saúde deverão, ainda, identificar os fatores de risco e grupos de vítimas mais importantes nos respectivos municípios. A partir desta verificação, os municípios deverão desenvolver programas e projetos de intervenção que reduzam esses fatores e os pontos críticos de ocorrência de acidentes.


“A iniciativa mostra a preocupação do Ministério da Saúde com a violência no trânsito. Uma das prioridades do Projeto Vida no Trânsito é intervir nos principais fatores de risco, que são responsáveis pelas causas e pela gravidade dos acidentes de trânsito, como o excesso de velocidade e a associação entre álcool e direção. Essas intervenções são desenvolvidas em articulação com outros setores, como educação, trânsito, transporte e segurança pública, dentre outros setores governamentais e da sociedade civil.  Nosso objetivo principal é reduzir a grande quantidade de óbitos e lesões no trânsito, que poderiam ser evitados com medidas preventivas”, observa Marta Maria Alves da Silva, coordenadora da Área Técnica de Vigilância e Prevenção de Violências e Acidentes do Ministério da Saúde. Ela lembra que uma capital de cada região brasileira havia sido definida inicialmente, em 2010, para o reforço das ações de vigilância e prevenção de acidentes no trânsito: Palmas (TO), Teresina (PI), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS) e Curitiba (PR).Além dessas cidades pioneiras, o Ministério da Saúde incluiu, em2011, as outras 22 capitais e mais os estados.


O Projeto Vida no Trânsito resulta também da participação do Brasil num esforço internacional iniciado em 2010 com o Projeto Road Safety in 10 Countries (RS 10), coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Fundação Bloomberg.

Valores destinados aos estados e respectivas capitais:
Municípios e Estados População Recursos Federais
(R$)
Porto Velho 428.527 175.000,00
Rondônia 1.562.409 250.000,00
Rio Branco 336.038 175.000,00
Acre 733.559 250.000,00
Manaus 1.802.014 250.000,00
Amazonas 3.483.985 250.000,00
Boa Vista 284.313 175.000,00
Roraima 450.479 250.000,00
Belém 1.393.399 250.000,00
Pará 7.581.051 250.000,00
Macapá 398.204 175.000,00
Amapá 669.526 250.000,00
Palmas 228.332 175.000,00
Tocantins 1.383.445 250.000,00
São Luís 1.014.837 250.000,00
Maranhão 6.574.789 250.000,00
Teresina 814.230 200.000,00
Piauí 3.118.360 250.000,00
Fortaleza 2.452.185 250.000,00
Ceará 8.452.381 250.000,00
Natal 803.739 200.000,00
Rio Grande do Norte 3.168.027 250.000,00
João Pessoa 723.515 200.000,00
Paraíba 3.766.528 250.000,00
Recife 1.537.704 250.000,00
Pernambuco 8.796.448 250.000,00
Maceió 932.748 200.000,00
Alagoas 3.120.494 250.000,00
Aracaju 571.149 200.000,00
Sergipe 2.068.017 250.000,00
Salvador 2.675.656 250.000,00
Bahia 14.016.906 250.000,00
Belo Horizonte 2.375.151 250.000,00
Minas Gerais 19.597.330 250.000,00
Vitória 327.801 175.000,00
Espírito Santo 3.514.952 250.000,00
Rio de Janeiro (RJ) 6.320.446 250.000,00
Rio de Janeiro 15.989.929 250.000,00
São Paulo (SP) 11.253.503 250.000,00
Campinas 1.080.113 250.000,00
Guarulhos 1.221.979 250.000,00
São Paulo 41.262.199 250.000,00
Curitiba 1.751.907 250.000,00
Paraná 10444526 250.000,00
Florianópolis 421.240 175.000,00
Santa Catarina 6.248.436 250.000,00
Porto Alegre 1.409.351 250.000,00
Rio Grande do Sul 10.693.929 250.000,00
Campo Grande 786.797 200.000,00
Mato Grosso do Sul 2.449.024 250.000,00
Cuiabá 551.098 200.000,00
Mato Grosso 3.035.122 250.000,00
Goiânia 1.302.001 250.000,00
Goiás 6.003.788 250.000,00
Brasília/DF 2.570.160 250.000,00
TOTAL 12.875.000,00


FONTE: Ministério da Saúde
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *