UPAs chegam a 13 milhões de atendimentos

Duas novas unidades serão inauguradas em julho, somando 50 UPAs no estado

As 48 Unidades de Pronto Atendimento 24 horas acabam de atingir a marca de 13 milhões de atendimentos, mais de 93 milhões de medicamentos distribuídos e 9 milhões de exames realizados. A primeira UPA, localizada na Maré, foi inaugurada em maio de 2007. Distribuídas por todo o estado, elas exercem função fundamental na organização da rede de saúde, pois ajudam a reduzir o fluxo nas grandes emergências, uma vez que a taxa de resolutividade dos casos ultrapassa 99%. No dia 9 de julho, a Secretaria de Estado de Saúde irá inaugurar a 49ª UPA em Mesquita. No final do mês, no dia 31, é a vez de Itaboraí receber sua primeira unidade, a 50ª. Ambas serão administradas pelo Estado através de Organizações Sociais (OSs).

Entre as Unidades com maior média diária de atendimento estão Campo Grande, com 454, e Bangu, com 408.  E vem mais por aí. Já foram definidos os locais da Baixada Fluminense que terão novas UPAs: Nova Iguaçu, Japeri, Caxias (lote 15), Magé e São João de Meriti. Os bons resultados fizeram com que modelo fosse adotado pelo Governo Federal em todo o país e pela Argentina, que importou a ideia.
O secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes, destaca a importância das Unidades de Pronto Atendimento 24 horas hoje.

– A maior conquista das UPAs foi aproximar o atendimento de saúde, de forma organizada, da população. Hoje, o paciente recorre à Unidade próxima da sua casa e, quando há necessidade, a pessoa é transferida para um hospital. Esse modelo de atendimento traz benefícios não só à população como também aos profissionais de saúde – afirmou Côrtes.

ASSISTA A VÍDEO SOBRE AS UPAS: 

Como funcionam – As UPAs oferecem serviço de pediatria, odontologia e urgências clínicas, além de exames laboratoriais e salas de Raios-x, sutura, gesso, medicação e nebulização. Elas contam também com unidade de cuidados intensivos e semi-intensivos, com leitos adultos e infantis. Têm ainda sala de observação individual para que pacientes com doenças infectocontagiosas, como tuberculose e meningite, possam receber os primeiros cuidados até serem transferidos para um hospital.

Pioneirismo é com as UPAs – As UPAs serão pioneiras mais uma vez na implantação do modelo das OSs, organizações sociais sem fins lucrativos que passarão a administrar bens e equipamentos das unidades, utilizando modernas técnicas de gestão e estabelecendo uma relação de parceria entre o Estado e a sociedade. As unidades serão as primeiras da rede a receber o modelo, mas o controle de fiscalizar e garantir a eficiência das políticas públicas de saúde continuará sendo do Governo do Estado. A implementação dessa nova forma de administração tem como objetivos reduzir custo, melhorar a gestão e garantir um atendimento de qualidade à população.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *