Vigilância Sanitária inicia Ações de Prevenção as Olimpíadas

Trabalho será feito nos moldes da Copa, que diminuiu índice de estabelecimentos irregulares

A Vigilância Sanitária do Rio começou a catalogar os bares, restaurantes e hotéis que serão inspecionados para o atendimento aos turistas que virão participar das Olimpíadas 2016. O principal foco do trabalho é a orientação de comerciantes sobre as boas práticas na produção, manipulação e comercialização de alimentos, obedecendo às normas higiênico-sanitárias.

Após catalogados, os estabelecimentos terão amostras de alimentos recolhidas para análise em laboratórios. Essa atividade também foi feita na Copa 2014, por um período de dois anos antecedente ao evento. E o resultado que acaba de ser divulgado aponta uma redução de 50% nas interdições de lanchonetes, bares, restaurantes e hotéis.

Essa diminuição de riscos nos estabelecimentos é resultado de um trabalho educativo, que serviu como prevenção de danos à saúde. Durante os dois anos, a ação denominada “Colheitas de Amostras – Copa 2014” inspecionou 2.500 estabelecimentos nas áreas mais movimentadas da cidade, que tiveram amostras de alimentos retiradas e levadas para análise. Do total analisado, 15% apontaram índices insatisfatórios e precisaram de um acompanhamento mais próximo das equipes da Vigilância Sanitária.

Esses comerciantes com índices ruins receberam orientações sobre conservação, armazenamento e manipulação dos alimentos, limpeza e higienização do local, dentre outras, através de cursos, palestras e entregas de manuais impressos e educativos, o que fez diminuir pela metade o número de estabelecimentos com índices insatisfatórios.

Aqueles que não respeitaram as orientações dos inspetores da vigilância receberam o auto de infração e tiveram os alimentos irregulares apreendidos e proibidos de serem comercializados. A comercialização só foi liberada, quando, numa quarta visita, os inspetores constataram que as irregularidades não existiam mais.

Esse trabalho de acompanhamento próximo, constante e reincidente aponta uma mudança de postura da vigilância sanitária do Rio de Janeiro, que passa a educar comerciantes e todo o público-alvo de inspeções do órgão, antes de aplicar as sanções.

Todas as amostras recolhidas até o último dia da Copa, 13 de julho, foram analisadas pelo Laboratório de Controle de Produtos da Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses.

O primeiro trabalho voltado para as Olimpíadas será feito na “Regata Internacional de Vela”, onde vai ser analisada toda a alimentação de 320 atletas de 34 países, além dos visitantes. O evento será realizado entre os dias 2 e 9 de agosto, na Marina da Glória, mas a inspeção da Vigilância Sanitária começa na manhã desta terça-feira, dia 29.

NÚMEROS DA COPA (junho e julho)
– 1.657 inspeções (lanchonetes, bares, restaurantes e hotéis) / 1.514 kg de alimentos inutilizados / 178 amostras coletadas / 418 multas aplicadas (valor de R$1.291,00, em média) /324 denúncias recebidas, sendo 208 procedentes / 7 cursos e palestras para os responsáveis técnicos e manipuladores de alimentos.

FONTE: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *