Após fiscalização, Companhia Docas do Espírito Santo começa a afastar funcionários irregulares e busca contratação de Técnicos ou Tecnólogos em Radiologia

thumbnail_1385557982Menos de um mês após a fiscalização do Conselho Regional de Técnicos em Radiologia da 13ª Região (CRTR/ES) apontar que sete pessoas exerciam ilegalmente as técnicas radiológicas na área retroportuária de Vila Velha, a Companhia Docas do Espírito Santo decidiu resolver a situação.

Os trabalhadores irregulares estão sendo afastados da operação dos escâneres de inspeção que emitem RX e, para preencher essas vagas, está aberto o processo seletivo para a contratação de Técnicos ou Tecnólogos em Radiologia. Quem quiser se candidatar a um desses postos de trabalho, pode enviar currículo para o e-mail administrativo@crtr13.com.br. É recomendável ter especialização em Radiologia Industrial.

“Este caso reflete a importância e os resultados da fiscalização de qualidade. Encaminharemos todos os currículos que chegarem ao setor de RH da Companhia Docas, para que profissionais legalmente habilitados passem a lidar com os equipamentos que emitem RX no porto”, coloca o presidente do CRTR/ES Marcos Valério Neppel de Lima.

Correios

Com a evolução da tecnologia, a aplicação das técnicas radiológicas se diversificou e vários novos campos de trabalho se abriram. Se por um lado isso representou o advento da profissão em diversos outros setores, por outro, representa um desafio para a manutenção do controle jurisdicional da atividade profissional.

No final de outubro, o fiscal Josiel de Oliveira também fiscalizou pela primeira vez um centro de distribuição dos Correios, na capital Vitória/ES. Lá, encontrou um escâner de inspeção que emite RX sendo operado por três funcionários sem habilitação profissional. “Os diretores alegaram não conhecer as normas, mas agora eles conhecem”, frisa.

A empresa foi autuada por acobertamento e os funcionários também, por exercício ilegal da profissão. Foi feito boletim de ocorrência e montado o processo administrativo. “Eseperamos que os Correios percebam o exemplo da Companhia Docas e contratem funcionários legalmente habilitados também, pois existem recursos suficientes para isto. Igualmente, espero que esse tipo de fiscalização aconteça em outros estados também”, finaliza a presidenta do CONTER Valdelice Teodoro.

FONTE: CONTER
http://www.conter.gov.br

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *