Mesquita e Itaboraí recebem as próximas UPAs e RJ passará a ter 50 unidades

As UPAs já fizeram, desde a criação, 12,9 milhões de atendimentos, distribuindo à população mais de 92 milhões de medicamentos gratuitamente

O mês de julho será um marco para o projeto das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Governo do Estado do Rio de Janeiro. No dia 9, será inaugurada a 49ª UPA em Mesquita. No final do mês, no dia 31, é a vez de Itaboraí receber sua primeira unidade, a 50ª de todo estado. Ambas serão administradas pelo Estado através de Organizações Sociais (OSs).

Nas duas unidades, os pacientes vão dispor de serviços de pediatria, odontologia e urgências clínicas, além de exames laboratoriais e salas de Raios-x, sutura, gesso, medicação e nebulização. As UPAs contarão com uma unidade de cuidados intensivos, com quatro leitos, e unidades semi-intensivas adulta, com 10 leitos, e infantil, com três leitos. As novas UPAs têm ainda duas salas de observação individual, com um leito cada uma, para que pacientes com doenças infectocontagiosas, como tuberculose e meningite, possam receber os primeiros cuidados até serem transferidos para um hospital. As unidades também serão equipadas com uma ambulância cada. Além disso, haverá cinco consultórios em cada uma delas, três de clínica médica e dois de pediatria. Cada UPA funcionará com cerca de 250 profissionais.

Ao todo, foram investidos R$ 4,5 milhões em cada uma e a previsão é de, juntas, realizarem 700 atendimentos por dia. Cada UPA possui cerca de 1.500m² distribuídos em um pavimento. Implementadas a partir de 2007, as UPAs representam um modelo de sucesso na saúde pública estadual do Rio de Janeiro, ajudando a reduzir o fluxo nas grandes emergências, uma vez que a taxa de resolução dos casos ultrapassa 99,5%. Até o último dia 24 de maio, as UPAs tinham realizado 12.881.661 atendimentos e quase 9 milhões de exames laboratoriais, além de mais de 91 milhões de medicamentos distribuídos. O modelo foi adotado pelo Governo Federal em todo o país e pela Argentina, que importou a ideia.

UPAs em números – De 2007 até hoje, as Unidades de Pronto Atendimento do Estado fizeram 12,9 milhões de atendimentos. Foram 92 milhões de medicamentos distribuídos, 8,9 milhões de exames laboratoriais realizados e 289 mil internações. A taxa de resolutividade das UPAs é de mais de 99%, ou seja, menos de 1% dos casos precisaram ser removidos para hospitais de maior complexidade.

– Há pouco mais de quatro anos, esses pacientes tinham que disputar por vagas em postos de saúde, pronto-socorros e emergências, muitas vezes lado a lado com pacientes em estado grave.O Governo do Estado do Rio de Janeiro não pensou a UPA para substituir algum modelo já existente, mas sim para compor, junto às outras unidades, uma rede organizada de saúde – destaca o secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes.

Estreia das OSs no Estado – As novas unidades já serão administradas via Organizações Sociais. A implementação dessa nova forma de administração tem como objetivos reduzir custo, melhorar a gestão e garantir um atendimento de qualidade à população. Essas organizações sem fins lucrativos passarão a administrar bens e equipamentos das unidades, utilizando modernas técnicas de gestão e estabelecendo uma relação de parceria entre o Estado e a sociedade. As UPAs serão as primeiras da rede a receber o modelo, mas o controle de fiscalizar e garantir a eficiência das políticas públicas de saúde continuará sendo do Governo do Estado.

A UPA Mesquita fica na Avenida Costa e Silva, s/nº, Edson Passos. Já a unidade de Itaboraí se localiza na Rodovia BR 493 / Área remembrada 6A e área 07 – Centro de Manilha.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *