RJ bate recorde na captação de órgãos e credencia unidade estadual para realizar transplantes

Governo do Estado anuncia criação de Polos de Captação de Órgãos, serviço ambulatorial para pacientes que aguardam na fila de transplantes e banco de multitecidos; uma revolução na área

No Dia Nacional de Doação de Órgãos, comemorado em 27 de setembro, o Governo do Estado anuncia a segunda etapa do Programa Estadual de Transplantes (PET). Desde sua criação, em 2010, o Rio de Janeiro saiu da lanterna nacional para o segundo lugar dentre os estados que mais captam órgãos no país. Ou seja, não só foi o estado da federação que mais cresceu proporcionalmente na captação de órgãos, comotambém fez subir a média nacional.

Diante deste desempenho, o PET apresenta a nova fase de ações. A principal delas é que o Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro (IECAC) passa a fazer transplantes de rins, fígado e coração. A realização de cirurgias de transplantes é uma atribuição federal e, até então, apenas unidades federais e de ensino, além de algumas particulares credenciadas, é que podiam transplantar no Rio de Janeiro. A partir de agora, o IECAC passa a ser mais uma unidade a realizar o procedimento e, assim, permitir que a crescente captação de órgãos no estado resulte em andamento mais rápido da fila.

– O avanço que o Estado do Rio registrou na área de transplantes desde a criação do PET nos permite ambicionar atingir mais uma meta em 2013, a de ultrapassar a marca de 20 doadores por milhão de habitantes. A meta estipulada pelo Ministério da Saúde para o próximo ano é de 13,6 doadores por milhão de habitantes em todo país. Já passamos disso e estamos hoje com quase 15 doadores por milhão. – destaca o secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes.

Em 2012, em todo o estado, foram 176 captações de órgãos, 45% a mais que no ano passado.

Outras ações de destaque:

Criação dos Polos de Captação de Órgãos – o objetivo é descentralizar as funções do PET, as chamadas Organização de Procura de Órgãos (OPOs) vão atuar em todas as regiões do estado no intuito de intensificar as captações com a identificação de possíveis doadores e otimizar o processo da doação, desde a notificação até a cirurgia de captação ;

Unidade de Preservação de Órgãos – funcionará junto ao Serviço Estadual de Transplante para melhor atender a efetivação dos transplantes;

Unidade de Avaliação e Preparo de Pacientes para Transplantes – A unidade vai funcionar no Hospital São Francisco, na Tijuca, para garantir que os pacientes na fila de transplantes estejam com os exames em dia e, portanto, aptos a receber o órgão assim que um doador surgir;

Banco de Multitecidos (ossos, córneas e pele) –Em parceria com o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), que já hospeda um banco de ossos, o Governo do Estado irá promover, no mesmo local, a criação de um banco de olhos e de pele.

Números – Até agosto deste ano já foram realizados 790 transplantes. Em 2011 o total foi de 900. Antes de 2010, a média do Rio de Janeiro era de 5,1 doadores por milhão de habitantes, contra 9,9 da média nacional. Ao final do primeiro semestre de 2012, o RJ passou para 14,4 doações por milhão, acima da atual média nacional de 11 doações por milhão.

A taxa de efetividade (relação entre o número de potenciais doadores, ou seja, notificações e doações concretizadas) também subiu: de 16% em 2010 para 35% em 2012.


Hospital de Saracuruna supera 11 estados brasileiros – O Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, foi escolhido para receber o prêmio “Destaque na Promoção da Doação de Órgãos” pelo Ministério da Saúde. O hospital, que atende principalmente pacientes do Rioe da Baixada Fluminense, em 2012 realizou 24 captações de órgãos (38 rins, 15 fígados e 2 corações). Sozinho, superou nada menos que 11 estados brasileiros.

Disque-Transplante 155 – Criado em 2010, o Disque-Transplantes 155 foi fundamental para estreitar a relação entre os profissionais de saúde e a população com a equipe do Programa Estadual de Transplantes. De fácil memorização, a central telefônica funciona 24 horas e, além de tirar dúvidas e dar informações sobre o tema, serve de canal para a notificação de possíveis doadores nas unidades de saúde.

PET Online –O PET criou também um site onde a população e os profissionais de saúde podem se informar sobre a doação de órgãos. Neste Dia Nacional de Doação de Órgãos, o site também está numa nova fase, mais moderno, interativo e bonito. Acesse http://www.transplante.rj.gov.br

São Cosme e São Damião – O dia 27 de setembro é o Dia Nacional do Doador de Órgãos e de São Cosme e São Damião, padroeiros dos transplantes. Os dois santos têm em sua história o fato de levarem alegria às pessoas através de outra doação além dos doces distribuídos nesta data todos os anos: a de órgãos e tecidos. Segundo a Igreja Católica, os gêmeos Cosme e Damião eram médicos que exerciam a profissão sem receber qualquer pagamento. Tornaram-se padroeiros dos transplantes por terem sido os responsáveis pela realização da primeira cirurgia desse tipo na humanidade.

FONTE: Governo do Estado do Rio de Janeiro 
Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *